Estenose de Narina

Início / Estenose de Narina

Estenose de Narina (Rinoplastia para Estenose)

LEON-ROMAN, M.A.; MAZZARO, L. (2016) 


A estenose de narina é o estreitamento dos orifícios nasais, ficando reduzidos a pequenas fendas. É causada por má formação congênita das cartilagens nasais, limitando o fluxo de ar para o sistema respiratório.


É frequentemente observada em cães braquicefálicos (focinho curto e crânio compacto) como por exemplo o Bulldog Inglês e Frances, Pug, Boston Terrier, Pequinês, Shih Tzu e Boxer, e em algumas raças de felinos como o Persa e Himaláio.



Como identificar se meu pet tem estenose de narina ?

A melhor maneira de saber se seu amigão tem ou não estenose de narina é levando ao médico veterinário especialista para exame físico pois, durante a anamnese, o diagnóstico pode ser dado por conta da raça, sinais clínicos e inspeção visual da cartilagem da narina.


Os principais sinais clínicos são: esforço para respirar (principalmente na inspiração), respiração ruidosa (som de "serrote"), cianose (língua roxa), intolerância aos exercícios, excitação e aumento da temperatura corpórea.


Outros exames também são importantes a fim de ajudar a excluir presença simultânea de outras causas respiratórias, como a ausculta do tórax (com auxílio de estetoscópio) ou radiografias de tórax eliminando qualquer suspeita de afecção pulmonar.


Além da estenose de narinas, os cães braquicefálicos ainda podem apresentar o palato mole alongado, hipoplasia de traquéia, eversão dos sáculos laríngeos, compondo a Sindrome Respiratória dos Cães Braquicefálico.



Cirurgia Plástica

O tratamento é realizado através de cirurgia plástica (rinoplastia) e consiste em correção cirúrgica da anormalidade anatômica, removendo parte da cartilagem para alargar as narinas. Com uma cirurgia bem feita e realizada por um profissional capacitado tem-se um prognóstico favorável.


Após a cirurgia, recomendamos que os proprietários mantenham bons hábitos de saúde do paciente, incluindo manter o peso ideal para a raça, exercícios leves e evitar passeios muito longos e/ou em dias muito quentes.


A identificação precoce dos sinais clínicos é de grande importância, pois contribui para uma melhor qualidade de vida do paciente, aumentando sua expectativa de vida.

Você é o responsável por escolher o melhor profissional para cuidar do seu pet!

MV, Lígia Mazzaro Muniz
Médica Veterinária formada pela Universidade Anhanguera
MV. Trainee em Odontologia Veterinária (T1/OV)
Aperfeiçoamento em Odontologia Veterinária (CTEOV)


MV, Esp, PhD, Marco Antonio Leon
Médico Veterinário formado pela FMVZ/USP
Doutor (Stricto sensu) em Cirurgia pela FMVZ/USP
Especializado (Lato Sensu) em Odontoveterinária pela Anhembi/Morumbi
Professor do Curso de Especialização em Odontologia Veterinária da USP

Voltar